O dia após o domingo


Segunda-feira, chega sempre faceira. Nem disfarça que vem como areia que cai entre os dedos, inevitável.

Não tem como fugir de ti, mas tem como amenizar teus danos. Segunda é dia chuvoso mesmo com sol à pino. É outono em plena primavera.

Segunda é dia de sonhar! Sim, apesar dos pesares é dia de pensar, imaginar e especular. Para alguns, dia de trabalhar duro, para outros uma eterna rede pendurada entre coqueiros… Quem nos dera, não é mesmo?

Segunda é quando a coisa toda começa, o pontapé inicial na retomada da vida. É recomeço, retomada, é reatar os nós desfeitos.

Segunda as vezes é terça, é um terço de tudo. As vezes é deprê, quase sempre talvez. Nem sempre se sonha na segunda.

Mas, quer um conselho para não ter aquela velha ‘deprê pós-Fantástico’? Não o assista! Faça do teu domingo coisa boa, faça algo diferente, diferentemente de outras vésperas de Terças.

Anúncios

Sem tempo pra ser feliz

HOJE, trabalhamos tanto que não temos mais tempo para ‘ser feliz’. Corremos, levantamos cedo, madrugamos, estudamos, e tudo isso tem sido com que objetivo?

Será tão difícil alcançar a sonhada felicidade? E o pior, já nem sei se buscamos essa tal felicidade. Ser feliz é raro, são momentos e não mais estado de vida. Como já diria a velha canção “Felicidade é uma cidade pequenina…”. Acho que a humanidade perdeu o caminho de lá.

Me pergunto o porque de tudo isso, de viver com tantos objetivos sem sonhos concretos. Como alcançar a plena satisfação!? Ser da “Geração Smartphone” e “Internet” está dando nisso. Somos vítimas de nós mesmos. Autores da nossa própria infelicidade.

Espero que, enfim, um dia, quem sabe, encontre novamente o rumo da tal Felicidade Plena. Aquela velha cidade que tanto almejamos chegar. Que Deus me ajude.

 

Mãe

Mãe.
Mainha.
Mamãe.
Manhê.

Bem, seja assim ou assado, seja lá como for.
Como é bom poder chamá-la. Amá-la.

Ah, mãe. Saber que me carregastes em teu ventre sem cobrar nada.

Mainha, tu visse meu nascer e crescer. Esteve todo esse tempo comigo.

Mamãe, eu nem sei o que poderia fazer para te recompensar.

Só sei que, em meio a qualquer dor, alegria, tristeza ou felicidades, é sempre bom poder te chamar, gritando: MANHÊEEE!!

E hoje, em mais um dia especial, dedico a você algo meu. Meus parabéns, meu abraço, meu beijo, meu MUITO OBRIGADO.

A você que me criou.
A você que gerou meus filhos.
E também a vocês que foram um pouco minhas mães sem saber.

Feliz dia das mães, mamães queridas da minha vida!!

 

PS: esse texto é em homenagem a minha mãe Marilsa, minha esposa Luana, e minhas irmãs Lucyane e Denise.

Que beleza!

A beleza não está só nos olhos de quem vê
Mas também no coração de quem ama
Nas mãos de quem toca
Nos ouvidos de quem escuta e aprecia
 
A beleza está em você
Na sua alma, na sua verdade
Em quem você realmente é
 
A beleza é passageira, é temporal
A beleza vem e vai, como seu bom humor
Ah, enquanto houver sol e novas manhãs
Estará tudo bem, tudo beleza!

Trilhando meu destino

Quantas vezes nos deparamos com algumas paradas abruptas da vida? Quantas vezes nosso caminho dá de cara com um muro, ou simplesmente tropeçamos e caímos com uma pequena pedra no caminho?

É, a vida tem seu jeito de nos fazer parar. Se não paramos muitas vezes por bem, o mal prevalece. Se não temos ‘tempo’ de ir ao médico, o coração passa a dar um susto de leve pra gente arrumar um tempinho. Aí tem também aquela dor, seja nas costas, nas pernas, na cabeça. Sim, tem tudo isso e mais um pouco.

As vezes a teimosia é tanta que a gente prefere tapear um mau momento com mais trabalho, com mais correria, com ‘ocupações’ sem fim. Decidimos ditar nosso próprio ritmo e deixamos passar as chances de dar um tempo.

O nosso tempo é precioso. É Dinheiro. É, portanto, curto. A vida passa feito um trem, e as estações são as tarefas a se cumprir. Cada vez mais cheias, mais apertadas, mais dolorosas.

Nós, a maioria dos seres humanos ‘normais’, só paramos quando o trem da vida sai dos trilhos. Quando não nos atentamos e nos sobrevém um atentado. Corremos o risco de errar a parada, alargar a passada, e perder o prumo.

Sejamos coerentes, mesmo em meio à multidão de pensamentos, cobranças e metas. Antes chegar ao fim da linha e ver que valeu a pena poucas mas grandiosas realizações do que chegar lá sem nada em mãos, muito menos dentro de si.

O ‘preço’ do ‘sucesso’

sucesso

As pessoas olham, as vezes, e vêem o sucesso de outras e nem imaginam o preço que se paga para chegar lá. Nem sempre é tão óbvio, nem sempre as lágrimas e o suor ficam expostos.

É fácil achar que alguém cresceu na vida do ‘nada’. É muito fácil olhar e criticar depois de ver o trabalho feito. Mas a maioria dos vencedores trabalham em silêncio, treinam exaustivamente até conquistar o que se quer.

Poucos são os que pagam o preço que o sucesso exige. Ninguém chega a canto nenhum por ‘acaso’. O acaso simplesmente não existe. O caso é o que se explica, o acaso não.

Sucesso não quer dizer fama, que fique bem claro. Ser bem sucedido é conseguir chegar onde tanto se sonhou. Isso vale para um bom emprego, uma boa universidade, constituir uma família, montar uma empresa ou vencer a luta contra uma doença.

Mudar maus hábitos, conseguir acordar de bom-humor e largar um vício também são exemplos de conquistas silenciosas.

Gosto muito do texto bíblico que diz: “Aos seus amados, Ele (Deus) os dá, enquanto dormem”. Ou seja, os que sonham, dormindo e acordados, os que planejam e que correm atrás, esses sim ganham e conquistam algo. Mesmo enquanto dormem, mesmo que por um momento.

Meu ex-eu

Já não sou o mesmo desde, deixa-me ver, desde faz tempo. Ser o mesmo sempre não faz sentido, é antinatural, é ‘desumano’.

A mudança me acontece espontaneamente, sem prévio aviso. As mudanças são gradativas, mas facilmente perceptivas.

Eu espero poder continuar mudando, falando de um jeito diferente. Andando diferente, obtendo uma menor circunferência na faixa estomacal, se é que você me entende.

Mas confesso que não mudo por imposição, acabo mudando pela necessidade. Acho que no fundo somos todos como animais nômades, que se adaptam as circunstâncias e ambientes.

Não faz sentido errar e permanecer no erro. É necessária a troca, a nova rota, o novo alvo. E só de se viver isso, a mudança acontece sem mais nem menos.

Mais ou menos assim. Não sei como acontece, só sei que foi assim que cheguei aqui. O que serei amanhã? Só Deus sabe , sim, só ele sabe ao certo.

Vou esperar acontecer. Ou melhor, vou continuar andando e mudando até chegar na nova versão de mim mesmo.